quarta-feira, 27 de outubro de 2010

B!

Bullying. Brutalidade. Brincadeira? - Caso seja essa a palavra que algumas pessoas usam para este tipo de crime, é uma brincadeira muito sem graça.
Estou indignada. Sempre que assisto aos jornais e leio algo na internet, vejo casos como este que vou falar agora. 
Nunca imaginei que isso fosse acontecer tão perto. Acho que se não todos, a maioria conhece o evento anual chamado Interunesp. O caso é que sempre nesses eventos não é preciso participar para observar as "brincadeiras" e tudo o mais. Ano passado, a cidade onde moro esteve durante muitos dias uma verdadeira bagunça. Brincar, festejar... Nada disso é ruim, desde que haja respeito entre os demais participantes. Este ano não foi o que aconteceu em Araraquara (sede dos jogos do Interunesp de 2010). A história foi relatada por uma estudante do Campus de Assis que assistiu a tudo.
 (...)
Reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada nesta quarta-feira, conta que durante a festa universitária, um grupo de alunos promoveu um “rodeio de gordas” no qual homens deveriam "laçar" mulheres acima do peso com os braços e dominá-las. O relato das agressões também está em comunidades do site de relacionamentos Orkut.
Mayara Curcio, estudante de psicologia da Unesp, presenciou as agressões e publicou um post de repúdio ao “rodeio” na comunidade do InterUnesp no Orkut. Segundo a estudante, os participantes, autodenominados “peões”, abordavam garotas obesas, as agarravam e até mesmo montavam em cima delas, enquanto amigos observavam para um posterior julgamento. “Acumulava maior número de pontos aquele que conseguisse segurar a garota (enquanto esta se debatia) por mais tempo. O vencedor, ao final das festas ganharia um quite (sic) com bata e caneca oficial do "rodeio das gordas", relata a estudante.
Na comunidade há postagens de estudantes que repudiam a prática e outras que a amenizam, afirmando que tudo não passou de uma brincadeira*. O caso repercutiu entre os estudantes da Unesp, que fizeram manifestações durante essa semana. Está marcado para a próxima quinta-feira (28) um ato contra o "rodeio de gordas", às 13h30, em frente ao campus de Assis. (Fonte: Último Segundo ).

Saber que numa faculdade tão bem conceituada como a Unesp, existem sujeitos (nem um pouco humanos) que encaram isso como uma brincadeira, é lamentável. É claro que preconceito existe em todo lugar, mas não é por isso que temos que aceitar absurdos como estes e dizer "isso sempre acontece". - Desta vez aconteceu e alguém se manifestou. - Pronto! Os agressores devem ser punidos por "brincarem" com as pessoas.

Eu também sou gordinha e felizmente, nunca sofri nada igual a isso. Mas me senti muito mal por saber que meninas como eu, sofreram por não ter as "qualidades" que a sociedade impõe. Quem foi que disse que para ser bonito(a) tem que ser magro? - A mídia. E quem é a mídia? - Grande parte são famosos que vivem a base de remédios e cirurgias para manterem o que é considerado "bonito". - Eu não vivo de rótulos e muito menos de aparência. Sou o que sou, independente do que é agradável aos olhos das outras pessoas. A questão da obesidade, vai muito além de um status e uma placa de "sou sarado(a)". As pessoas devem cuidar da alimentação por questões de saúde. Ser bonito é consequência de uma vida saudável. - Infelizmente, ignorantes como estes que brincam e tiram sarro de pessoas gordas, não entendem isso. Talvez o cérebro deles esteja ocupado demais em contar quantas barras eles levantaram na academia.
Quando soube que as agressões partiram dos alunos do Campus da cidade onde moro, me deu uma vontade imensa de "brincar" também. (Chutar o saco deles, talvez...) - Quem sabe, sendo o motivo da chacota, eles não passem a entender que isso não é brincadeira. Bullying e preconceito. Ambos são crimes. E quem os comete, deve pagar por isso.


Você parou para pensar que "um gordo(a)" é, antes de medirmos o peso dele(a), "uma pessoa"? - Pense nisso.
(Frase de um dos estudantes da Universidade Paulista).

4 comentários:

Liipee disse...

O triste da história é que cada vez vemos mais pessoas fazendo as mesmas coisas despreziveis que julgam ser "despreziveis".
O que não entendo, é de como consegue ridicularizar a propria raça,.. até quando né?
Bom você falar sobre isso, é bom repensarmos o que fazemos.. o que andam fazendo.
viver.

- teu blog não para de ser lindo né?
*_*.
layot mt bacana..
bom, irei aparecer, to meio offline porqe to vivendo um amor mais.. vamos dizer, "real".
Mas quando der, apareço..
prometo,
beijos, fica bem.

giselaine alves ♫ disse...

Isso é terrível, o pior é quando as pessoas se sentem superiores a outras somente por não possuírem a mesma massa. Repugnante saber que estamos cercados por pessoas sem senso, sem respeito.

Ótima abordagem e conclusão! Concordo com a sua opinião plenamente.

Um beijo :*


http://happinesshared.blogspot.com/

Leila Bicalho disse...

Isso é ridiculo, são pessoas medíocres, eu me recuso a considerá-las da mesma raça que eu, não são humanos sabios, não algumas especie bem atrasada de ser vivo, que não tem o minimo de respeito, deve ser tratados como lixo . Isso me revolta!

Talita Dionisio disse...

Bom...Infelizmente,por idiotas como aqueles que só querem saber de sexo,drogas e bebidas, nós estudantes da UNESP,levamos essa imagem de que foi a unesp. Na verdade foram aqueles idiotas que acham que todo mundo pensa como eles, ou seja, só vão ao Inter pra zuar,ofender,beber e transar até.Mas,infelizmente,eles perceberam que nem todo mundo vai nessa festa pra fazer as mesmas coisas que eles.
Esses idiotas,além de manchar a vida dessas meninas,mancharam a UNESP.