domingo, 8 de novembro de 2009

Auto-controle

Eu queria poder controlar meus sentimentos. Queria poder formatar meu coração, minha mente, sempre que fosse necessário. Mas sempre quando isso é preciso, eu perco o controle e sou dominada por atitudes impensadas que me tornam um ser imbecil.
Há pessoas imbecis pelo simples fato de existirem, mas este não é o meu caso. Eu fico assim, quando me apaixono, fico vulnerável, chorona, sentimental, e consequentemente, imbecil.
Isso é normal para qualquer mulher...desde que essa mulher não seja eu.
Não me conformo de chegar a tal ponto, sendo que, sempre prometo para eu mesma, que nunca vou me apaixonar de novo. Mas, é só ver um cara bacana, que...Ora, vejam só! É a Nathalia exercitando sua imbecilidade sentimental novamente.
Depois de tanto tempo, de tantas histórias inacabadas, caminhos intermináveis...Eu percebo que toda imbecilidade permanece aqui, intacta. Não tenho a exercitado como antes, mas eu sinto, ela está aqui! Me incomodando, me provocando...Sempre que me vejo em alguma situação, lá está ela! querendo ser usada. Mas não, tenho me controlado.
O problema são as coisas que fiz a algum tempo atrás que insistem em me perseguir. É incrível! Você pode mentir, dizer que não está nem aí...Mas ela está aí!
No seu pensamento...te cutucando naquela hora mais feliz da sua vida! Onde não era para ela estar, mas está.
E isso tem sido rotineiro comigo. Tenho sido visitada por pensamentos indesejados várias vezes ao longo do dia. Às vezes choro, outras, dou de ombros...
mas o que importa, o que realmente importa, e eu percebi agora...é que nada que eu faça fará o tempo voltar atrás. E sabe, eu acharia isso terrivelmente terrível, se fosse a algum tempo...mas hoje, não acho mais.

O que passou calou, e o que virá...Dirá!



Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons

Nenhum comentário: